Espírito guerreiro

Ano passado, me lembro de ter ido com bastante entusiasmo assistir ao filme “Fiel”. Esperava ver a sala de cinema lotada. Esperava um filme emocionante.

Saí da sessão onde figuravam menos de 20 testemunhas decepcionado. Mas uma coisa, ao menos, me tocou: Danúbia.

Jovem, entre 20 e 30 anos, Danúbia era uma daquelas pessoas que deve-se ter orgulho em conhecer: mesmo com um câncer a consumindo, fazia questão de ir aos jogos no Pacaembu, ainda que sozinha.

Celebrava sua vida não abrindo mão de suas paixões.

Ainda que sua aparição no filme possa ter servido para um apelo dramático um tanto quanto forçado, o fato é que Danúbia não era o filme, era mais. Mais uma guerreira de São Jorge, lutando contra um dos piores dragões que a humanidade já conheceu.

Essa semana, o Corinthians, em mais uma impressionante prova de contra-senso, lançou uma nova camisa número 3 com uma cruz em roxo no peito.

O mesmo roxo que grande parte da torcida não gosta. Porque desrespeita a tradição – o coração é alvinegro, não tricolor.

Mas para além do fato de que essa camisa poderia ter sido feita para agradar a todos simplesmente usando o branco no lugar do roxo, sendo inclusive uma jogada de marketing muito mais inteligente, há o fato de que a nova vestimenta foi anunciada com o lema de “espírito guerreiro”.

A cruz representaria São Jorge.

Não conheci Danúbia. Creio que o departamento de marketing do Corinthians, que abaixa a cabeça para o patrocinador e teima em brigar com seu maior patrimônio, que é a torcida, também não.

Porque se conhecesse, ao invés de jogar com uma cruz roxa no peito, jogaria com uma camisa repleta de fotos dela, que infelizmente nos deixou na quarta-feira.

Seria, essa sim, uma grande homenagem à São Jorge e ao espírito guerreiro que sempre se espera do time.

Uma prova de que o clube também nos é fiel.

Palavra que carrego tatuada no braço esquerdo, com orgulho. De fazer parte da mesma nação de Danúbia.

Nação que tem muitas cicatrizes, muitas marcas. E muitas tatuagens.

Danúbia se tornou uma delas.

A Fiel, para sempre, terá seu nome inscrito no peito.

Danúbia, deixo aqui estas palavras na tentativa de lembrar.

Que a sua luta sempre será nossa.

Que nunca estará sozinha.

Como tantas outras.

Porque a Fiel tem orgulho de suas guerreiras.

Que, com certeza, entoam lá de cima:

“Nem a morte vai nos separar
Até do céu eu vou te apoiar”

Não há placar eletrônico no mundo que consiga anunciar com precisão o número de presentes nos jogos do Corinthians…

À família de Danúbia, deixo meus pêsames e um abraço, mais que necessário nessas horas.

Tenham a certeza de que o que fica, pra sempre, é a luta, não o luto.

Do companheiro de arquibancada,

Kadj Oman.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em família, memória

6 Respostas para “Espírito guerreiro

  1. Pingback: :/ « Não pára de lutar!

  2. coto

    maravilhoso!2

  3. É o Corinthians fazendo bonito no ano de seu centenário. A Libertadores está chegando e serão 25 milhões cantando a todo momento. Seu blog é muito legal. Quando puder passa lá no meu e deixa um comentário http://www.kennedyoliveira.blogspot.com

    Grande abraço!

  4. Agora entendi o pq de o povo não gostar dessa camisa roxa…

    Dããr, que viajem. ^^

    Bom, coração corinthiano é rubro negro, e nisso concordo plenamente! Uma camisa roxa com uma cruz no meio, pouts, onde está o sentido disso?

    Mano, parabéns pelo seu blog, show de bola!

    Sou administrador do Boleiros Anônimos, um blog que também expõe minha opinião a respeito do esporte que é paixão no Brasil.

    Gostaria de realizar uma troca de banenrs com vocês, eu divulgo seu blog, e você divulga o meu.

    Aguardarei contato, grande abraço, sucesso!

  5. Aryanne Marcondes Villar

    Olá tudo bem?? acessei seu blog e gostei bastante… sou bisnesta do Altino Marcondes (TATU) que jogou no Corinthians entre 1922 e 1924, se você tiver mais informações sobre a história do meu bisavô eu gostaria de saber!!!
    Muito obrigada
    Aryanne

  6. Galvão Salles--Senai-Taubaté

    Prezada Aryanne Marcondes, tenho duas fotos de seu bisavo trabalhando no Santuário de Santa Teresinha – Taubaté. Me procure!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s